Gratias Plena

Agnaldo Rayol

Nela, tudo encantava comovia e atraia
Seu sorriso, seus gestos o seu modo de andar
A tranquila candura dos seus lábios fluía

(Ela, cheia de graça, como a Ave Maria)
Quem a viu não a pode nunca mais esquecer

Ingênua como a água, diáfana como o dia
Como a Nevada, como margarida sem par
O amor, fruto dessa alma celeste amanhecia

(Ela, cheia de graça, como a Ave Maria)
Quem a viu não a pode nunca mais esquecer

Tanto, tanto a quis por dez anos foi minha
Mas as flores tão belas também devem desfolhar

(Ela, cheia de graça, como a Ave Maria)

E a fonte da graça de onde procedia
Retornou como a ave sem voltar nunca mais

(Ela, cheia de graça, como a Ave Maria)

Written by: Amado Nervo / Mário Talavera / Nazareno de Brito
Sent by Nelson.
Did you see an error? Send us your revision.