A festa é da massa

Arlindo Cruz

Já reneguei minha raça
Pra lhe agradar
Hoje você me encurrala
Só pra sambar
Olha que a festa da massa
Ainda não morreu
Chega de meter o dedo
No que não é seu
Um dia eu sambo na praça

Quem sabe brinco na rua
Você vai ver que a desgraça
Foi toda por culpa sua
Não soube ser companheiro
Já me vendi por dinheiro
Dinheiro que na verdade
Nunca me deu liberdade
Quem sabe a falsa alegria
Que você tanto irradia
Não seja fruto do medo
Que um dia eu venho a saber
Que o seu reinado está perto do fim
Você não é nada sem mim

Written by: Jorge Aragão
Sent by mauricio.
Did you see an error? Send us your revision.