A Dívida (part. Ice Blue)

Cynthia Luz

[Cynthia Luz]
Vive, a dívida de ter a morte como herança
E persistir no erro e então contar vantagem engana
Meu sorriso é meu escudo, amor a esperança
O teu ego persegue e eu sou um quadro da
Lembrança
Esperar o Sol nascer às vezes não demora tanto
Quando tá no abraço de alguém que te encanta
Lá fora o pavor é água, a sede é de alma
O espelho que te encara e o mеdo é quase nada
Uma bela história pra deixar tudo bonito
Uma boa vida pra quеm nunca teve disso
Sentimento passa se não tiver compromisso

Abre a cabeça, só não perca o juízo
E sabe, você sempre vai ter a ver comigo
A vida tem um jeito pra dizer como é difícil
Quando vai embora a esperança do sorriso
A coragem mora onde a dor é um ofício
A ponto de ser melhor, ser meu próprio cais (ser meu próprio cais)
Uma canção de amor pra quem não tem fé (pra quem não tem fé)
Vive chorando e foi como ele contou (como o menino contou)
Ninguém lhe viu passar, o frio lhe acolheu

[Ice Blue]
Caralho, eu tô louco nessa quarentena
Que dia é, que horas são
Tudo igual a mesma cena
Luzes se apagaram, fantasmas que vem
Preso permaneço sendo meu próprio refém
Então tranco a porta, vou até a janela, vejo tudo acontecer
Preciso ignorar o que me faz querer morrer
Minha mente faz eu lutar, então
Só não sei contra quem
Chego a lugar nenhum, só eu que sei meu martírio
Aventura desprovera um abismo

Sou difícil de chorar, Cynthia Luz
Dessa vez lágrimas me caem a mil
Teve mano meu que não se superou
Com solidão se deparou
Para ele tudo terminou, suicidou
Não desejo nada mais da vida, nada mais do que a minha paz
Viver em paz, correr atrás, sendo eficaz
Sendo meu próprio cais quando a noite cai
Um minuto ou só um dia
Eu consiga sair desse labirinto
É fácil enxergar meu sorriso triste
Preciso, insisto, uso como disfarce
E sigo

Written by: Cynthia Luz
Sent by Lavinyamacedo76. Revised by Donniz.
Did you see an error? Send us your revision.