Olhos Verdes

Dalva de Oliveira

Vem de uma remota batucada
Numa cadência bem marcada
Que uma baiana tem no andar
E nos seus requebros e maneiras
Na graça toda das palmeiras
Esguias altaneiras a balançar

São da cor do mar, da cor da mata
Os olhos verdes da mulata
Tão cismadores e fatais, fatais
E num beijo ardente e perfumado
Conserva o travo do pecado
Dos saborosos cambucais

Written by: Vicente Paiva
Sent by lucas. Revised by 3 people.
Did you see an error? Send us your revision.