LETRAS.COM - Letras de canciones

Dance, Dance, Dance

Mano Brown

[Seu Jorge]
Um enrendo sem ela
Fica sem por quê
Vou honrar o meu filme
Ser forte
Mostrar o que eu possa fazer
Dance, dance, dance
Dance, dance, dance
Luz e som
No desafio a chance
Um entre mil romances
Além do limite onde o amor nos alcance
Então dance, dance, dance
Ô-ô, dance, dance, dance
Livre na cena
Num salto seguro
O groove não cai
Enfim te encontrei
Nosso caso nas telas
Dois foras da lei
Já travamos combates
Com artes
Ainda vamos dançar outra vez
Nessa história bandida
Qual o pagamento final, eu não sei
Trama vencida
Drama da vida do amor
Longa metragem da dor
Dance, dance, dance
Ô-ô, dance, dance, dance
Luz e som
No desafio a chance
Um entre mil romances
Além do limite onde o amor nos alcance
Então dance, dance, dance
Ô-ô, dance, dance, dance
Livre na cena
Num salto seguro
O groove não cai
Enfim te encontrei

[Don Pixote]
Se for possível
Em algum lugar vou te ver dançar
Sim, eu vou ligar e te encontrar
Amei seus detalhes, eu gosto
A malicia da rosa
Que me convenceu no fim
Eu sei o que é isso que eu vivo
O perigo é constante, um aviso
Não sou aquele do carinho
Tenho o que dizer
Mas quero com você até o amanhecer
Viver esse momento e nada mais
É difícil, não vou te difamar jamais
Primeiro que quis
Você gostou, quer bis
Eu sei o que fiz
Eu te fiz feliz
Mademoiselle, és capaz
De me fazer sorrir
Vamo curtir um pouco mais
Ficou gravado na mente
Igual não achou a saudade
É presente
Aprende a puxar o bonde, amigo
Depois da dança, comemora com o vilão, sumiu
Vira romance
Esse louco que assedia até um lance
Então dance

[Seu Jorge]
Livre na cena
Num salto seguro
O groove não cai
Enfim te encontrei

[Mano Brown]
Se o final for feliz
Não nos perdoarão
Sabe, vamo fugir desse lugar, baby
Pras ilhas do sul
Fuga de Alcatraz, vem ver
Nas marginais como Bonny & Clyde, viver
Antes que acendam as Luzes da Ribalta
Olhares se cruzem e acusem minha falta
No auge da festa, na alta, vem
Mó tela, mó novela
Longe, sem brisa naquela
Sem mais, mil e uma noites, sequela
Eu também fui vexame
O meu tsunami é ser esse meu mundo infame
Achapelante é não ver
Não entende a discórdia
Eu quero é liberdade
E não misericórdia
Agora se quiser vem
Se não quer, bem
Assalto do trem, pagador
Os malotes de amor e felicidade
Dádiva que o meu Deus deixou
Vamo, antes que venha o ataque
E nos queimem na praça igual Joana D'Arc
Um dia entre nós
Esse som e a saudade
Era uma vez
De um tempo em que éramos reis
De quando o campinho era um palco
Zica, e o crime era um passo do Michael
Aos trancos, barracos e barrancos
Debate louco, às duas horas
Esperando resgate
Um mar proibido
Mal compreendido
Um amor bandido
Em outro nível
Se for possível

[Seu Jorge]
Dance, dance, dance
Ô-ô, dance, dance, dance