LETRAS.COM - Letras de canciones

Direito de Resposta Parte 2

NaBrisa

Sigo impactante, quente, loucamente
Vendo a porra toda cair na minha frente
Não quero ouvir mais nada, foda-se quem fala
Muito fala, se atropela e tende a falar mais merda
E pra ser sincera o que tu faz, eu já vi várias no quintal fazer
Mas procura nesse cenário quem tem esse flow
E todas essas ideias monstra pra poder escrever
Surreal, às vezes tô bem pra cacete
Mas às vezes eu também tô mal, mas o mundo dá voltas
Às vezes sobra, mas às vezes falta 1 real
E mesmo estando mal, eu sempre fui real
Todos querem ser diferente, acabaram sendo igual
Mano eu sou favela sim e eu sinto ela sangrar
E geralmente isso acontece quando um justo chora
Sem condições pra enterrar ou fazer funeral
Tipo uma mãe desesperada quando anoitece, chora
Ao perceber que seu filho não vai mais voltar da escola
E hoje a nossa cor decreta nossa sorte
Então muita fé pro povo pobre que sofre igual
Num país rico onde de um lado continua lindo
Do outro lado a bala canta, e o clima é infernal
Então não, nan, nan, nan, não, amiga, não tem nada top
Nem tudo que se passa aqui se passa no jornal
Muitas das vezes quantos daqui não tem opção
A não ser virar bandido, prostituta ou viciado em drogas
Aonde os vida louca vive entre a vida e a morte
Eu falo dos cria da boca trocando tiro com a BOPE
Que sobe lombrando a favela com seu arsenal
Oh Sabrina, tão falando mal de você
Me conte uma novidade que isso é normal
Vim pra salvar essa geração cega, tola e esnobe
Que se mata diariamente pedindo palpite
Quis me fazer de otária e só se atrasou
Ele pensou que ia me foder de quatro
E eu fodi com a vida dele em cima desse beat
Geral decidiu ser foda, dar pra um cara foda
Mesmo se a foda for vazia no final, hey
Pessoas rasas agem feito atrizes
Pega o roteiro pra ler e dizem
Tão passageira quanto o carnaval
Acha que sabe fazer diss, mas, bom, no teu som só o instrumental
No improviso eu me eternizei, hey
Nessas linhas eu me eternizei, hey
Então te ensino a fazer freestyle
Tudo junto e misturado, quem que escolhe a cor que nasce?
E quando eu disse que o preço foi pago na cruz
Eu não falei de escravidão, eu falei de Jesus
Aquele que morreu por mim e carregou o fardo
E levou sobre si todos os meus pecados
Pra que haja novamente luz no meu coração
E através da minha vida toque outros corações
Se tu não entende eu não posso fazer nada não
Eu não vim pra me defender
Porque Deus é meu juiz, Jesus Cristo advogado
Justiça chamo de rap, que sai de dentro da minha alma
Não deixa eu mentir, sei que vai dizer que não
Tu vai dizer que não, mas essa até você sentiu daí, hey
Já tive portão de madeira e teto telhadin
Mas hoje graças a Deus eu tenho o meu cantinho
Desculpa se me esqueci, agradeço no caminho
Enquanto resolvo os caô, vou cantando igual passarin
Só o senhor é Deus só Deus é o Senhor
Se choro alivia dor hoje sou um dilúvio no canto do sofredor
Enquanto o meu peito queimar de amor
Eu estarei de pé, só pra dançar contigo
Santo, santo ele é mas cuspiram na sua face
Essa fase logo passa o tempo gosta muito de mostrar caráter
O que eles dizem sobre mim são só polêmicas
Eu vim da zona oeste meu flow 44 problemas, ei
É certo pelo certo mermo, eu não vim pedir teu perdão não
Botei a cara e tu nem viu, lady, tu não é Lauryn Hill, vai pra puta que pariu
Escolhido não tem escolha, então fica a reflexão
Ressuscito Dina Di, pode falar mal de mim
Ressuscito Dina Di
Que eu tô pagando aluguel, mas não pago a divulgação, fé