Alucinação

Silvio Caldas

Não sei dizer a dor que me crucia
Nem revidar a tanta covardia
Por meus ciúmes e por teus desdém
Nos versos doloridos que componho
A luz verde do meu sonho
Espero a tua volta e tu não vens

Às vezes vou beijar o teu retrato
Joia de amor que guardo com recato
No meu birô amigo e confidente
E escuto gargalhadas da moldura
Pressagiando a próxima loucura
De quem te adora alucinadamente

Do meu cigarro então sobe a fumaça
Enquanto o vento canta na vidraça
A sinfonia triste da saudade
E na alucinação dos meus sentidos
Conto os minutos loucos repetidos
A espere inútil da felicidade

Written by: Djalma Macieira Nascimento / Newton Teixeira
Sent by Nelson.
Did you see an error? Send us your revision.