Pausa

5 a Seco

Onde eu possa descansar daquilo tudo que já sei
De todo ouro que busquei
Do vício de me reinventar
Onde eu possa resgatar a dádiva de ser ninguém
De nunca mais falar de mim
Procuro esse lugar

Pausa para respirar no permanente vir a ser
Do desamparo de não ter
Do desespero de esperar
Pausa para repensar o que merece me mover
E esse lugar, se um dia houver
Eu chamarei de lar

E quando um dia voltar a perceber
A pulsação se acelerar
Eu voltarei a percorrer
O mar aberto do querer
Sem nunca esquecer pr'onde posso voltar

Written by: Tó Brandileone / Vinicius Calderoni
Sent by andressa.
Did you see an error? Send us your revision.