Confronto

Hugo e Guilherme

Eu não tô legal
O álcool entrou em confronto
Com meu lado sentimental, tô mal
E não é normal
É pouco perto do que fiz
Isso que dá não dizer não pra vontade carnal

Às vezes, o pecado
Tem um beijo gostoso, um abraço agradável
Que confunde qualquer cabeça em bom estado

Não gasta à toa a sua lágrima
Eu que fui, eu que fiz, cê não teve culpa de nada
E não tem que me perdoar, cê não é obrigada
E até acho que nem deve
Eu não sou o cara

Não gasta à toa a sua lágrima
Eu que fui, eu que fiz, cê não teve culpa de nada
E não tem que me perdoar, cê não é obrigada
E até acho que nem deve
Eu não sou o cara

Às vezes, o pecado
Tem um beijo gostoso, um abraço agradável
Que confunde qualquer cabeça em bom estado

Não gasta à toa a sua lágrima
Eu que fui, eu que fiz, cê não teve culpa de nada
E não tem que me perdoar, cê não é obrigada
E até acho que nem deve
Eu não sou o cara

Não gasta à toa a sua lágrima
Eu que fui, eu que fiz, cê não teve culpa de nada
E não tem que me perdoar, cê não é obrigada
E até acho que nem deve
Eu não sou o cara

E não tem que me perdoar, cê não é obrigada
E até acho que nem deve
Eu não sou o cara

Written by: Diego Silveira / Rafael Borges / Nicolas Damasceno / LARI FERREIRA / Bruno Nunes
Sent by Adriele.
Did you see an error? Send us your revision.