Velho Realejo

Agnaldo Timóteo

Naquele bairro afastado
Onde em criança vivias
A remoer melodias
De uma ternura sem par

Passava todas as tardes
Um realejo risonho
Passava como num sonho
O realejo a cantar

Depois tu partiste
Ficou triste, a rua deserta
Na tarde fria e calma
Ouço ainda o realejo a tocar

Ficou a saudade
Comigo a morar
Tu cantas alegre e o realejo
Parece que chora, com pena de ti.

Written by: Custódio Mesquita / Sady Cabral
Sent by Clair. Revised by Nelson.
Did you see an error? Send us your revision.